Tag Archives: contos

O Escravo – Uma História do Livro O Baú das Histórias Inusitadas

    O ESCRAVO   Primeiro foi o torpor que lhe invadiu, seguido da sensação de que o corpo se partia em mil pedaços. Em seguida, podia jurar pelos seus deuses africanos ou pelos santos dos brancos, que voara e voara, até que despencou ali. E ali, só podia ser um mau sonho. Morto não estava, pois sentiu a dor ...

Leia Mais »

Vermelho 27 – Um Conto do Livro “O Baú das Histórias Inusitadas”

Esta história é baseada na música (tango) de David Nasser e Herivelto Martins, e cantada por Nelson Gonçalves   VERMELHO 27   À sua passagem os cães ladraram fortemente, mas nem a insistência dos latidos perturbou aquele homem de uma esqualidez quase cadavérica, que nem o terno surrado enfeitado por um arremedo de gravata conseguia esconder. A face sugada e ...

Leia Mais »

“ZERO-UM”

Baseado em uma história verídica – Por Gil DePaula   Esta é a terceira história do “Projeto Universo do Homem Negro”. Agradeço aos amigos que dispuseram de um pouco do tempo deles, e enviaram seus comentários sobre as outras histórias. Estejam a vontade para realizarem novas avaliações.   Ela sentia-se imensamente feliz. Tão feliz que até lhe dava medo. Marília ...

Leia Mais »

Feio… Era Pouco – Baseado na Obra de Nelson Rodrigues

Por Gil DePaula   Amigos leitores, a história que vocês irão ler a seguir é uma recriação de um conto de Nelson Rodrigues chamado Feia Demais. Se me atrevo a recontar essa história, somente se deve a minha profunda admiração pela obra do autor.   Feio… Era Pouco Há alguns anos, ela havia sido eleita Miss Brasília. E realmente era ...

Leia Mais »

BOLAS E RODAS

Por Gil DePaula Esta é mais uma história do “Projeto Universo do Homem Negro”. Agradeço aos amigos que enviaram seus comentários sobre a primeira história e, às novas avaliações, que eventualmente sejam enviadas.   Abraços, pulos, socos no ar, dancinhas, era apenas a extravasão daquele momento único, e cada um o fazia do seu jeito. O que eu sentia, naqueles ...

Leia Mais »

Feliz Natal – Um Conto do Livro “O Baú das Histórias Inusitadas”

  FELIZ NATAL   Era uma vez um barraco de madeira tão pobre quanto os milhares de outros espalhados pela cidade-satélite de Taguatinga, ocupado pela minha família, uma família de rotos. Nasci em Monte Gordo na Bahia, bem como meus pais, minha irmã e meu irmão que nasceram antes de mim. Os dois mais novos deram sorte, foram paridos num ...

Leia Mais »

Cornucópia – Um Conto do Livro “O Baú das Histórias Inusitadas”

CORNUCÓPIA   Era a terceira vez. Era a terceira vez, mas de alguma forma ainda doía. Da primeira bem me lembro. E como esquecer? Me casei aos vinte anos. E que merda! Quando você se casa aos vinte anos, aos quarenta fica se perguntando sobre as farras que deixou de fazer. Das viagens não desfrutadas com a turma. Das mulheres ...

Leia Mais »

O Preconceituoso – Um Conto do Livro “O Baú das Histórias Inusitadas”

O PRECONCEITUOSO     A primeira demonstração que o pequeno Jonathan deu que seria um preconceituoso, ocorreu quando aos cinco anos seu pai o levou para o salão de barbeiro. No pequeno local onde, apenas, três barbeiros trabalhavam. Um jovem negro em torno dos seus dezoito anos, cortava o cabelo. Ao ver a tesoura agindo sobre o garboso “black power” ...

Leia Mais »

“Sobre Abrantes” – Um Conto do Livro “Complexo de Batman”

“SOBRE ABRANTES” O Deputado Adorava ir ao púlpito da Câmara Legislativa e discursar. Gostando, particularmente, de exaltar suas propostas, sua reputação ilibada, seus colegas, a importância que tinha aquela Casa para os brasilienses, porque nunca houvera deputados distritais tão empenhados em suas funções, tão honestos com a coisa pública, afirmava ele. E por aí se empolgava, proferindo discursos que invejariam ...

Leia Mais »

O MORTO – Um Conto do Livro “COMPLEXO DE BATMAN”

O MORTO   Allan Mais uma vez acordava com o coração palpitante e o travesseiro encharcado de suor. O pesadelo com o morto insistia em atormentá-lo, e Allan tinha consciência que os malditos sonhos começaram, depois do jantar na casa do amigo Aristides, cujo pai falecera recentemente. Nas imagens oníricas, começava se banqueteando sozinho em um local escuro, sem paredes, ...

Leia Mais »