Últimas do blog

GUERRA URBANA (artigo publicado no jornal Guará Hoje Cidades de maio de 2013)

bandido_av_brasil2 GUERRA URBANA (artigo publicado no jornal Guará Hoje Cidades de maio de 2013)

Por Gil DePaula

Uma triste guerra se desenrola há anos entre policiais e bandidos, confronto este que a população na maioria das vezes tem a percepção de quem leva a vantagem – infelizmente – são os marginais, pois se acumulam as vitimas entre os inocentes, alvos dos criminosos.

Constantemente recebemos pela televisão e jornais, noticias de furtos, roubos e latrocínios, que se repetem indiscriminadamente em várias cidades brasileiras. Recentemente tivemos vários casos emblemáticos como o da dentista queimada e morta em seu consultório, e do jovem assassinado friamente na porta de casa, mesmo tendo entregado o aparelho celular exigido pelo delinquente juvenil que o assaltou.

Os criminosos possuem um aliado poderoso, que é a nossa justiça capenga e retrógrada, que com suas leis brandas e ultrapassadas não os pune na extensão dos crimes que comentem. Também tem a seu favor esse grupo dos direitos humanos que nunca atuam em favor do cidadão de bem que foi vítima, mas basta um policial agir com um pouco mais de intensidade para que eles apareçam defendendo os supostos direitos dos marginais, que nunca permitem aos que são agredidos por eles, ter qualquer tipo de direito, a não ser o de ser humilhado, de perderem suas posses e muitas vezes a vida.

Vejo ação dos policiais que deveriam ser aplaudidas, principalmente porque deram certo, serem achincalhadas por parte da imprensa que querem se mostrar politicamente corretos.

Gostaria de saber qual a atitude desses que defendem marginais, se vierem a ter familiares como filhos, esposas e pais, agredidos, violentados e eventualmente mortos.

Na maioria dos estados brasileiros os policiais recebem salários vergonhosos, com o agravante de que arriscam suas vidas. Em São Paulo está ocorrendo uma verdadeira caça por parte dos criminosos aos agentes da lei, com vários sendo mortos.

Ninguém em sã consciência vai defender o mal policial, pois o policial bandido ou corrupto é pior que o pior dos criminosos, pois se comprometeu a defender a Lei. Também ninguém defenderá aquele que ataca um cidadão de bem. Porém, condenar ações mais drásticas contra os criminosos quando praticam seus delitos, é pura hipocrisia.

Hipócrita, também, é se manter a Menoridade Penal até os 18 anos. Por quê? Primeiro entendamos que esta condição se dá partindo do princípio que as pessoas até certa idade não estaria com sua mentalidade totalmente formada, não sabendo discernir o certo do errado. Então, perguntas se fazem necessárias: Qual o cidadão brasileiro acredita que um jovem de 14, 15, 16 anos não tem consciência dos seus atos?  Qual aquele que gostaria que um assassinato praticado por um criminoso juvenil ficasse sem punição?

Em pesquisas realizadas recentemente 92% (noventa e dois por cento) da população é a favor da redução da maioridade penal.

Observamos, ainda, que só o Brasil e a Polônia mantem a idade limite de 18 anos. Nos demais países ela começam aos 14 Anos (Alemanha), 15 anos (França), 16 anos (Portugal) e por aí vai.

Passou da hora dos nossos legisladores e judiciário corrigirem essa discrepância, e atenderem aos anseios da população.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: