Últimas do blog

A Arte de Luto: Morre Yoná Magalhães

 

Yoná A Arte de Luto: Morre Yoná Magalhães

Morreu na manhã desta terça-feira, aos 80 anos, a atriz Yoná Magalhães. Ela estava internada desde 18 de setembro na Casa de Saúde São José, no Humaitá, Rio de Janeiro, por problemas do coração.

Yoná Magalhães Gonçalves nasceu no dia 7 de agosto de 1935, em Lins de Vasconcelos, subúrbio do Rio de Janeiro. A atriz contava que havia começado carreira por acaso, para ajudar o pai, que estava desempregado, no começo dos anos 1950: “Eu tinha que ajudar de alguma maneira, não sabia muito como, queria continuar os meus estudos. Gostava de brincar de teatro, essas coisas que todo mundo faz. Então, fui fazendo pequenas pontas, pequenos papéis, até que consegui um contrato com a Rádio Tupi”.

Na Rede Globo, onde estrelou diversas novelas importantes, como Roque Santeiro (1985-86), Tieta do Agreste (1989-90), A Próxima Vítima (1995) e Senhora do Destino (2004). Seu último folhetim foi Sangue Bom, em 2013.

Da rádio, Yoná passou à TV Tupi, onde participou de novelas e do Grande Teatro da TV Tupi. Mas nunca se restringiu à televisão. No começo dos anos 1960, viajou pelo país com a companhia de teatro de André Villon e Ciro Costa e as peças O Amor É Rosa Bombom e Society em Baby-Doll (1962), e estrelou o clássico do Cinema Novo Deus e o Diabo na Terra do Sol, de Glauber Rocha.

Ainda na Globo, em 1972, fez Uma Rosa com Amor, de Vicente Sesso, em que formava um triângulo amoroso com Marília Pêra e Paulo Goulart, também já falecido. No ano seguinte, compôs elenco com Tarcísio Meira, Glória Menezes e Francisco Cuoco em O Semideus, de Janete Clair, sob a direção de Daniel Filho e Walter Avancini. Em 1977, faria Espelho Mágico, de Lauro César Muniz, dramaturgo que está voltando à Globo.

Nos anos 1980, depois de uma nova passagem pela Tupi, onde fez a novela novela Gaivotas (1979), de Jorge Andrade, e de uma estadia na Band, onde atuou nos folhetins Cavalo Amarelo (1980), de Ivani Ribeiro, Os Imigrantes (1981), de Benedito Ruy Barbosa, Wilson Aguiar Filho e Renata Palottini, e Maçã do Amor (1983), de Wilson Aguiar Filho, viveria o seu auge na Globo. A ótima fase começaria em 1984, com Amor com Amor se Paga, de Ivani Ribeiro. E seguiria em 1985, com Roque Santeiro, de Dias Gomes e Aguinaldo Silva. Nela, interpretou a Matilde, dona da boate onde trabalham as dançarinas Ninon (Cláudia Raia) e Rosaly (Isis de Oliveira).

Foi Roquei Santeiro que rendeu à atriz um convite para posar para a Playboy. Na emissora carioca, ainda participaria de diversas novelas e minisséries, como Grande Sertão: Veredas (1985), adaptada da obra de Guimarães Rosa por Walter George Durst, e Engraçadinha… Seus Amores e Seus Pecados (1995), adaptada da obra de Nelson Rodrigues por Leopoldo Serran, além dos seriados Carga Pesada e Tapas & Beijos.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: