Últimas do blog

Humor – Piadas de Japonês

IMG_0486

O Assalto

O Assalto


A polícia está dando a maior batida por conta de um assalto ocorrido no banco, quando param uma Kombi cheia de japoneses.
— Desce todo mundo! — ordena o policial. — Mãos na cabeça!
Eles obedecem em silêncio.
— Agora um por um, vai falando o nome — torna o policial.
E eles:
— Sartamo Obanko.
— Matamo Okasha.
— Kontiro Nosako.
— Katamo Osnique.
— Saimo Koreno.
— Fugimo Nakombi.
— Osguarda Pararo.
— Silas Kamo.

Japonês no Urologista

Japonês no Urologista


— A senhora jura que não vai rir? — perguntou o paciente japonês à médica urologista.
— Claro que sim! — respondeu exaltada. — Sou uma profissional da saúde. Existe um código de ética em questão. Em mais de 20 anos de profissão nunca ri de nenhum paciente!
— Tudo bem, então, — disse o paciente.
E deixou cair as calças, revelando o menor órgão sexual masculino que ela havia visto na vida. Considerados o comprimento e o diâmetro, não era maior do que uma bateria pilha palito. Incapaz de controlar-se, a médica começou a dar risadinhas e não conseguia mais segurar o ataque de riso. Poucos minutos depois ela conseguiu recuperar a compostura.
— Sinto muitíssimo, — disse ela. — Não sei o que aconteceu comigo. Dou minha palavra de honra de médica e de dama que isso nunca mais acontecerá. Agora diga-me, qual é o problema?
— Tá inchado!

Sutiã

Sutiã


A mulher do japonês tá lá tomando banho e grita:
– Akiro, traz o sutiã pra mim!
– Sutiã pra que? Non tem nada pra segurar…
– Ah, e? Enton por que você usa cueca?

Palavra Japonesa

Palavra Japonesa


De passagem por Tóquio, mesmo sem saber uma só palavra em japonês, o executivo brasileiro ainda assim conseguiu levar para o hotel uma garota que, por sua vez, só falava japonês.
Na cama, o orgulho do nosso herói cresceu ainda mais, pois a garota não parou de exclamar durante a noite:
— Machigai ana!
No dia seguinte, jogando golfe com um executivo local, quando este acertou um buraco de uma só tacada, o executivo resolveu surpreendê-lo com a expressão que havia aprendido:
— Machigai ana! Machigai ana! — berrou.
Ao que o industrial japonês retrucou, intrigado e em excelente português:
— Buraco errado? Por quê?

Japonês Doente

Japonês Doente


O japonês telefona para o chefe:
– Sefi, Japa no vai trabaia hoji, muito doenti. Dô cabeça, dô baliga, dô perna. No vai!.
Diz o patrão:
– Mas, Japa, eu preciso muito de você aqui, hoje! Olhe, quando eu me sinto assim, eu procuro minha mulher e peço para ela fazer sexo comigo. Isto me faz sentir melhor e então eu posso trabalhar. Tente isto.
Algumas horas mais tarde, o japonês telefona e diz:
Sefi, fazi o que sefi mandô. Sinto booom! Za vai trabaiá. Bonita sua casa, sefi!

O Ladrão

O Ladrão


Zapon tava dormindo com a mulherzinha quando o ladrão arromba a janela e pula pra dentro do quarto com um baita revolver:
– Fiquem onde estão! O Japonês acorda apavorado e o ladrão manda ele ficar em pé no canto do quarto. – Agora vou ver essa japonesinha. Tô achando ela muito bonitinha. Vai pra cima da japonesa e diz:
– Fica quietinha, senão o meu amigo mata o seu marido. Vai ter que fazer tudo o que eu quero, senão o seu marido vai pro beleléu.
E o ladrão deitou-se na cama e o japonês ficou olhando com a cara mais triste do mundo.
Acabado tudo, os ladrões foram embora e a japonesinha caiu nos braços do marido, chorando:
– Perdon, perdon, eu tinha que fazer, se non bandido matava malido, no? Malido perdoa, no? – E o japonês calado, com a cara fechada. – Por que não fala, malido? Você esta triste com mulhezinha seu? Ou fazia ou ladrão matava malido, non? – E o japonês caladão. – Fala alguma coisa, malido!
E o japonês, muito brabo:
– Plecisava mexer, plecisava?

A Viagem

A Viagem


O japonês chamou a aeromoça e disse:
– Pode avisar zapon, quando tivermos sobrevoando Nova Iorque?
– Pode deixar, cavalheiro!
Passados alguns minutos, deu uma baita dor de barriga no japonês e foi à toalete dos homens.
Mais alguns instantes, a aeromoça bate na porta da toalete e avisa ao japonês: – Cavalheiro, estamos sobrevoando NOVA IORQUE!
–Tá certo, mas agora quero ver CHICAGO, no?

Viagra Feminino

Viagra Feminino


Cientista japonês descobre novo Viagra feminino, o produto é conhecido pelos japoneses pelo nome de KATON. Um repórter foi entrevistar o japonês responsável pela descoberta e pergunta:
— Quando você dá o KATON para mulher, o que acontece?
— Mulher fica alegre, carinhosa, bondoóóósa, non? Te beija, abraça o dia inteiro e noite inteirinha. Não dá sossego, quer transar quantas vezes você aguentar. Te chama de “meu amor” e “minha vida” — afirma o japonês.
— Puxa, mas este produto é fantástico mesmo hein? Mas o nome é mesmo KATON?
— Sim, sim! KATON… KATON DE CRÉDITO.

Moto Kawasaki

Moto Kawasaki


Um americano, com sua Ferrari possante, estava a se mostrar pelas ruas de Nova Iorque. Sem mais nem menos passa um japonês do seu lado a uns 200 km/h. Olha-o profundamente e grita:
— Conhece moto Kawasaki?
E o ultrapassa. Furioso o americano não se conforma:
— Quem esse japa pensa que é? Ele vai ver só!
Rapidamente, acelera ao máximo, mas não consegue alcança-lo a tempo. Volta e pega seu Porche…
— Agora ele vai ver! Não se brinca assim comigo…
Logo localiza o japonês pelo retrovisor, mais que rápido acelera para alcançar sua velocidade, mas o japonês o ultrapassa com firmeza e grita:
— Conhece moto Kawasaki?
Inconformado olha o japa que some no infinito… Volta para casa e pega sua Mitsubishi. Agora nunca, ninguém poderá o ultrapassar! (pelo mesmo é o que pensa.) Mas que depressa volta para sua rota, procura mas nada de encontrar aquele japa atrevido. Até que vê ele muito mais veloz que antes. Confiante ele afunda o pé no acelerador. Chega bem perto do japonês, que ao vê-lo começa a acenar. O americano olha-o e consegue alcançar. Então o japa olha o americano e grita:
— Conhece moto Kawasaki?
E o ultrapassa novamente. O americano já de saco cheio, não acredita que uma “motico” consiga deixar sua Mitsubishi para trás e insiste. Acelera e vê o japonês fazendo a curva, mas some… Insiste. Pisa fundo e chega na curva. Quando a completa vê que o japonês esta na pista estirado, todo “arrebentado” e a moto irreconhecível. Não acreditando pára o carro, dá ré pra ver o que aconteceu. Chega no japa estiradão no acostamento, todo esfolado, pára, desce do carro e desesperado com a situação vai logo perguntando o que aconteceu. O japonês quase imóvel faz uma força tremenda, mais responde:
— Conhece moto Kawasaki?
— Sim. E daí? – responde o americano.
— Então me diz onde fica o freio.

Livros de Gil  DePaula – www.amazon.com.br ou www.clubedeautores.com.br > Digite Gil DePaula

Livros-de-Gil-DePaula Corrupção, o Câncer da Sociedade Brasileira

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: