Últimas do blog

A Arte de Luto: Morre Eva Wilma

A-arte-de-luto-morre-Eva-Wilma A Arte de Luto: Morre Eva Wilma

Faleceu nesse sábado (15-05-2021), Eva Wilma Riefle Buckup Zarattini, nascida em 14 de dezembro de 1933, em São Paulo, uma das principais atrizes brasileiras de todos os tempos.

Eva Wilma iniciou a carreira em 1952, protagonizando diversas telenovelas na Rede Tupi e TV Record, entre as décadas de 1950 e 1970, além de uma breve passagem pela TV Excelsior. Em 1980 transferiu-se para a Rede Globo, consolidando-se como uma das principais artistas da emissora.

Dentre seus principais papéis estão as gêmeas Ruth e Raquel na primeira versão de “Mulheres de Areia” e Dinah na primeira versão de “A Viagem”, além de ter protagonizado o seriado Alô, Doçura! (inspirado no sitcom americano “I Love Lucy”.

Pais e Carreira

Pais e Carreira

Eva era filha de Otto Riefle Jr., um metalúrgico alemão nascido em Pforzheim, perto de Stuttgart, no sul da Alemanha. Ele veio para o Brasil em 1929, aos dezenove anos, para trabalhar na metalúrgica Levy-Frank no Rio de Janeiro. Um ano depois foi transferido para São Paulo, pela mesma empresa. No carnaval de 1933 conheceu Luiza Carp, uma portenha judia de ascendência russa, com quem se casaria, já estando Luiza grávida de Eva Wilma.

Sendo bailarina, cedo passou a fazer parte do São Paulo Ballet, de Maria Oleneva. Em 1953, apresentou-se no Teatro Municipal de São Paulo, com apenas nove anos. No terceiro mês de apresentação com o corpo de balé começou a aparecer chances para atuar como atriz. O produtor e diretor do TBC (Teatro Brasileiro de Comédia), José Renato, chamou-a para formar a primeira turma de teatro de arena, onde atuou com grandes astros e estrelas.

300158-970x600-1 A Arte de Luto: Morre Eva Wilma

Atuou nos espetáculos: Judas em Sábado de Aleluia, Uma Mulher e Três Palhaços, Boeing-Boeing, O Santo Inquérito, A Megera Domada e Black-Out, peça produzida por John Herbert e Antunes Filho e dirigida por Antunes Filho. Fez Um Bonde Chamado Desejo, Pulzt, Esperando Godot, dirigiu Os Rapazes da Banda, depois participou de Quando o Coração Floresce, Queridinha Mamãe, pela qual recebeu o Molière de Melhor Atriz e O Manifesto.

Em 1952, o diretor italiano Luciano Salce convidou-a para fazer uma participação como figurante no filme Uma Pulga na Balança” na Companhia Cinematográfica Vera Cruz. Simultaneamente, participou do documentário do IV Centenário de São Paulo, “Se a Cidade Cantasse”, do diretor Tito Banini.

Estreia

Estreia

Eva Wilma estreou na televisão em 1953, quando Cassiano Gabus Mendes a convidou para atuar no seriado Namorados de São Paulo, ao lado de Mário Sérgio. Posteriormente, Gabus Mendes mudou o título da série para Alô Doçura, que foi protagonizada por Eva Wilma e John Herbert durante dez anos. O seriado entrou para o Guiness Book como o mais longo do país e, Eva Wilma, recebeu o Troféu Imprensa 1964, como Destaque do ano.

John Herbert e Eva Wilma formaram o principal casal da televisão brasileira dos anos 1950 e 1960; depois do sucesso em Alô Doçura eles trabalharam na Record, protagonizando duas novelas: Comédia Carioca e Prisioneiro de um Sonho, de Roberto Faria.

Depois, o casal retornou à TV Tupi e fez trabalhos importantes como “A de Amor” e “Confissões de Penélope”. Eva Wilma comoveu os telespectadores como a meiga Ana Maria, de “Ana Maria Meu Amor”.

EW-e-CZ A Arte de Luto: Morre Eva Wilma

Na década de 1970, tornou-se ao lado de Carlos Zara um dos principais pares românticos da televisão brasileira; juntos trabalharam em novelas de grande sucesso, teleteatros e especiais.

Em 1973, Eva Wilma interpretou as gêmeas Ruth e Raquel, de Mulheres de Areia, novela de Ivani Ribeiro e sucesso nacional e internacional.

Trabalhou em outras duas novelas de sucesso da Ivani Ribeiro, A Barba Azul e A Viagem.

Com o fim da TV Tupi em 1980, Eva Wilma foi contratada definitivamente pela Rede Globo, onde exerceu seu lado humorístico nas novelas Plumas e Paetês e Elas por Elas. Fez a esquizofrênica Laura de Ciranda de Pedra, a autoritária Francisca Moura Imperial de Transas e Caretas e muitas outras novelas marcantes, como Pedra sobre Pedra, Pátria Minha e A Indomada, O Rei do Gado, Esperança, Começar de Novo e Desejo Proibido. Também participou de séries de televisão como Mulher, O Quinto dos Infernos, Os Maias, Um Só Coração, JK, Norma e Na Forma da Lei.

Vida Pessoal

Vida Pessoal

3498749-eva-wilma-foi-casada-com-john-herbert-opengraph_1200-2 A Arte de Luto: Morre Eva Wilma

Foi casada com o ator John Herbert de 1955 até 1976, com quem teve dois filhos: Vivien Riefle Buckup, nascida em 1956 e John Herbert Riefle Buckup, nascido em 1958.

Seu segundo casamento com o também ator Carlos Zara durou 23 anos. Não teve filhos do segundo casamento.

Saúde e Morte

Saúde e Morte


Em 2016 a atriz foi hospitalizada devido a uma embolia pulmonar leve, permanecendo internada por três semanas até se recuperar.

Em 10 de janeiro de 2021, Eva Wilma foi internada na Unidade de Tratamento Intensivo de um hospital de São Paulo, com uma pneumonia leve. Segundo os médicos que a atenderam, seu quadro não foi considerado grave, permanecendo na UTI por precaução.

Em 15 de abril de 2021, a atriz foi internada para tratar problemas cardíacos e renais, e em 7 de maio teve descoberto um câncer em seu ovário.

Eva Wilma morreu no dia 15 de maio de 2021, no Hospital Israelita Albert Einstein, devido a uma insuficiência respiratória ocasionada pela disseminação do câncer pelo corpo.

 

Livros de Gil  DePaula

 www.amazon.com.br ou www.clubedeautores.com.br > Digite Gil DePaula

Livros-de-Gil-DePaula A Arte de Luto: Morre Eva Wilma

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios *

*

Solve : *
7 ⁄ 1 =


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: