Últimas do blog

Como Realmente é o Clitóris

Clitoris Como Realmente é o Clitóris

Enquanto as informações sobre a genitália masculina são abundantes, o clitóris entrou e saiu da literatura médica ao longo da história.

Os pesquisadores Masters e Johnson perceberam que a e estrutura do clitóris rodeia a vagina em estudos realizados em 1970. Mas, somente em 2005, as pesquisas ressurgiram por causa da urologista australiana Helen O’Connell, que descreveu a anatomia completa desse órgão, bem como sua relação com as estruturas adjacentes como a uretra, a vagina e glândulas vestibulares (responsáveis pela lubrificação).

Na ausência de material de estudo adequado sobre o clitóris, O’Donnell começou a investigá-lo minuciosamente dissecando cadáveres, ressonância magnética de mulheres vivas e estudos citológicos de tecidos. Seu estudo mostrou que o que é visível é apenas uma parte minúscula do clitóris. Cerca de 90% da estrutura deste órgão feminino está dentro do corpo.

Estrutura

Estrutura


“O que vemos, que é o que sempre se acreditou que o clitóris seja, é na verdade a ponta do iceberg”, explica a psicóloga e sexóloga basca Laura Morán: “A parte que fica para fora é a glande do clitóris (localizada onde os pequenos lábios, ‘escondida’ sob um capuz) e o resto é um órgão interno”.

Fora do campo visual, o clitóris se estende sob a pele. Seu ‘corpo’ tem forma cilíndrica composta por dois corpos cavernosos unidos, que se estendem em direção à cavidade púbica. Em sua extremidade estão as raízes (finas faixas de tecido erétil) que correm ao longo dos ossos pubianos e envolvem a uretra e a vagina. Ao lado de cada uma das raízes há outra região de tecido erétil conhecida como bulbos do clitóris, que ficam atrás das paredes vaginais. 

CeP Como Realmente é o Clitóris

Semelhanças e diferenças

Semelhanças e diferenças


Devido às semelhanças entre os dois órgãos, a comparação do clitóris com o pênis é muito útil para entender sua forma. Os dois são chamados órgãos homólogos: têm a mesma origem embrionárias e são semelhantes na sua estrutura interna, embora tenham funções diferentes.

De uma ponta à outra, o órgão feminino tem um tamanho médio de cerca de 10 centímetros e, como o pênis, o tecido que o compõe é esponjoso e erétil. Ou seja, quando a mulher se excita, ele incha e cresce com o fluxo de sangue.

“Alguns se referem ao clitóris como um pênis interno, mas outros dirão que o pênis é que é apenas um clitóris externo. É assim que gosto de explicar para mim mesma”, diz Laurie Mintz, psicóloga e terapeuta sexual.

Outra coisa que os diferencia, é que o pênis tem uma dupla função: faz parte do processo de reprodução sexual e do aparelho urinário. O clitóris, por outro lado, tem apenas um: é um órgão cuja função é proporcionar prazer.

O clitóris tem cerca de oito mil terminações nervosas. Já o órgão masculino tem entre quatro mil e seis mil. Ambos são a área do corpo mais densamente povoada por terminações nervosas, explica Mintz. “Imagine todos os nervos da ponta do pênis, mas em uma superfície do tamanho de uma borracha de lápis”, diz ela sobre o órgão feminino.

o Como Realmente é o Clitóris

Mesma origem

Mesma origem


A razão de o clitóris e o pênis terem tantas semelhanças é que eles são formados a partir dos mesmos tecidos embrionários durante o desenvolvimento do feto no útero da mãe. Eles só começam a ficar diferentes a partir da sexta ou sétima semana, quando os embriões começam a expressar seus cromossomos sexuais. A partir daí, a liberação de testosterona em embriões com cromossomos sexuais XY levará à formação de órgãos sexuais masculinos, enquanto a falta desse hormônio sexual em embriões XX levará à formação de órgãos sexuais femininos. Então, um crescerá para fora e o outro para dentro.

Em casos onde a composição dos cromossomos sexuais difere desse binômio (não é nem XY e nem XX), o desenvolvimento dos órgãos sexuais pode ser atípico.

Desconhecimento

Desconhecimento


A ignorância sobre a anatomia e a função do clitóris (que tanto Morán quanto Mintz atribuem em parte ao machismo e à desvalorização do prazer sexual feminino) tem um impacto direto na prática médica, mas também afeta profundamente a vida sexual das mulheres.

“Priva-as mulheres de prazer”, afirma Morán. “No pornô tradicional ou nos filmes românticos, você não vê estimulação do clitóris.” Sempre há penetração, e a penetração por si só não é a técnica que melhor estimula o clitóris. Não é um facilitador do orgasmo.”

Além disso, comenta Morán, “muitas mulheres que descobriram, por meio da auto exploração, que é a estimulação do clitóris que lhes proporciona prazer e orgasmo, acham que têm problemas.”

G Como Realmente é o Clitóris

O poder das palavras

O poder das palavras


Mintz concorda que essa lacuna no prazer está ligada à falta de conhecimento das mulheres sobre sua própria anatomia e dos homens sobre a anatomia feminina. “Infelizmente, muitas mulheres ainda hoje não sabem o potencial da parte do clitóris que podem ver e tocar”.

Mas a sexóloga também considera que “a linguagem que usamos em nossa cultura reflete e perpetua” essa situação: “Chamamos tudo o que acontece antes da penetração na relação sexual de “preliminares”, como se fossem algo secundário de um evento principal”, afirma Mintz. “Sendo que é essa estimulação que em geral têm maior probabilidade de levar a maioria das mulheres ao orgasmo.” Mudar esse cenário exige educação sexual.

É necessário “ensinar as pessoas sobre prazer sexual e consentimento”, afirma, citando a Holanda. “Graças à educação sexual, a Holanda tem menos agressões sexuais, bem como uma menor diferença da quantidade e qualidade dos orgasmos femininos e masculinos”.

Fonte: BBC

Livros de Gil DePaula

Livros de Gil DePaula

BHI-texto Como Realmente é o Clitóris

 

Livros-Gil-DePaula Como Realmente é o Clitóris

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios *

*

Solve : *
5 ⁄ 1 =


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: